4 tipos de Cardápios Digitais que você precisa conhecer 

tipos de cardápios digitais
7 minutos para ler

Em um universo cada vez mais conectado por tecnologias, investir no desenvolvimento de ferramentas digitais tem sido essencial para a continuidade dos negócios. No ramo da alimentação, por exemplo, existem vários tipos de cardápios digitais que podem ser utilizados estrategicamente para o crescimento do seu bar ou restaurante.

Com a tecnologia do cardápio digital, via QR code ou Board Menu, evita-se uma série de problemas, sobretudo em relação à rotina sobrecarregada dos garçons, organiização da operação.

Conheça mais sobre os principais modelos disponíveis no mercado da alimentação e descubra o que avaliar na hora de escolher o formato ideal para o seu negócio lucrar mais!

Os 4 tipos de cardápios digitais que ajudam a vender mais

O cardápio digital é, antes de tudo, uma ferramenta de vendas, afinal expõe seus produtos e cria uma forma mais criativa de chamar a atenção dos clientes.

Veja agora, os 4 formatos de sucesso, que ajudam a vender mais:

1. Cardápio digital ou virtual

O cardápio digital é uma tecnologia aplicada em restaurantes para facilitar a gestão de pedidos.

Muitas casas no Brasil e no mundo têm utilizado totens de autoatendimento e até mesmo tablets para que seus clientes definam suas refeições de maneira mais prática e autônoma.

Isso acontece porque com o auxílio desses equipamentos, dispensa-se a necessidade de aguardar até que um garçom vá até à mesa para anotar o pedido dos clientes. Portanto, este tipo de cardápio é uma versão digitalizada dos modelos físicos, isto é, dos cardápios tradicionais.

A grande vantagem em seu uso é a maior possibilidade de interação, já que pode ser utilizado em diversas plataformas digitais, como websites e mídias sociais.

Por outro lado, o cardápio digital permite ainda a ampliação da eficiência operacional, impactando diretamente nos lucros do estabelecimento.

Vale lembrar ainda que a interatividade se torna um diferencial competitivo, pois permite uma maior atração de clientes tanto para o consumo no local quanto para serviços de delivery ou retirada no balcão. Fora isso, também pode refletir em uma equipe mais enxuta e, consequentemente, na maximização dos lucros.

E em tempos como os atuais, também ajuda no reestabelecimento do atendimento de forma ainda mais segura.

2. Cardápio digital via QR Code

O QR code ou Código de Resposta Rápida (Quick Response Code) é uma tecnologia semelhante a dos códigos de barras. Basicamente, consiste em um gráfico 2D que deve ser lido pelas câmeras dos smartphones – ou por meio de aplicativos próprios para leitura.

O objetivo desse código é dar acesso ao menu digital, com todas as informações sobre a casa, os pratos, sugestões do chef, entre outros detalhes.

Por se tratar de um código visual que pode ser lido pelo celular, o QR code dispensa o uso de tablets em cada mesa.

Além disso, é muito prático, já que o consumidor não precisa inserir endereços eletrônicos ou acessar qualquer página para realizar o próprio pedido. Na prática, o cardápio por QR code pode ser conferido por meio de displays com o código nas mesas. Assim, não é necessário também o contato com garçons.

Essa tecnologia, normalmente está integrada ao sistema de pedidos do restaurante e é uma novidade que promete incentivar os clientes a frequentarem o bar ou restaurante mais vezes.

Levando em consideração a experiência do consumidor, essa é uma alternativa mais barata, segura e rápida de fazer pedidos.

3. Aplicativos de Cardápio Digital

Os aplicativos de cardápio digital permitem aos usuários fazer a instalação de aplicações próprias de um estabelecimento em específico ou de ferramentas de entrega de comida.

Com essa tecnologia, o cliente pode tanto consultar o cardápio disponível como fazer pedidos de delivery. Embora seja bem comum, o número de apps disponíveis aumenta a concorrência pela atenção dos consumidores.

Considerando que as pessoas estão cada vez mais conectadas com seus celulares, ter acesso ao cardápio de maneira simples pode se traduzir em diversos benefícios para os estabelecimentos, como o aumento do alcance da marca e das vendas.

Em contrapartida, o sucesso desse modelo depende do número de usuários assíduos no aplicativo. Outro ponto importante a se avaliar é a taxa de retenção, ou seja, quantos clientes continuam a utilizar o app (e com frequência), para evitar que instalem e desinstalem.

4. Board Menu

O Board Menu é um recurso muito comum em grandes redes de fast foods e outros estabelecimentos comerciais como padarias, cafeterias e restaurantes.

Esse que é um dos tipos de cardápios digitais preferidos dos negócios do foodservice, tem por objetivo colocar em evidência as principais opções do menu, para todos os clientes, de forma mais destacada.

Funciona basicamente como um grande painel fixado na parede, próximo aos caixas que conta com imagens e informações dos produtos. Além disso, os preços de cada prato são exibidos também. Dessa forma, fica mais fácil para o cliente definir o que vai consumir entre refeições e bebidas.

A desvantagem do modelo tradicional está justamente associada a precificação disponível no menu. Isso porque, caso haja qualquer tipo de alteração no cardápio, é preciso substituir todo conteúdo visual.

Já na versão digital, não há custos com impressões, afinal, as alterações do menu são realizadas remotamente, por meio do sistema digitalizado. Portanto, é uma excelente ferramenta para impulsionar promoções e novidades.

Como escolher os melhores tipos de cardápios digitais?

Como você pode perceber, existem diversos tipos de cardápios digitais que podem adotados. Entretanto, para otimizar os processos do seu restaurante, é preciso avaliar alguns aspectos importantes antes de escolher o modelo ideal para o seu negócio.

Confira, a seguir, quais detalhes devem ser analisados para reduzir custos e aumentar sua lucratividade por meio dessa ferramenta.

Tipo de operação

Antes de qualquer coisa, é válido lembrar que o tipo de cardápio digital escolhido pode variar de acordo com o modelo operacional de cada estabelecimento.

Se a sua operação for mista, por exemplo, é interessante investir em soluções híbridas e que, se possível, atendam tanto os clientes do salão, quanto do delivery.

Isso não só ajudará com a gestão dos pedidos em visão unificada, como também otimizará seu investimento inicial. Assim, o cardápio pode ser o mesmo ou com pequenas alterações, mas disponibilizado rapidamente nos diferentes formatos utilizados (tablets, tótens de autoatendimento, aplicativos).

Praticidade e integração

Promover alterações no menu pode ser um problema para a maioria dos estabelecimentos, especialmente aqueles que utilizam um cardápio impresso. Na falta de um item, é preciso explicar para o cliente que determinado prato não está mais disponível, criando uma situação extremamente desfavorável.

Sendo assim, o menu digital se torna uma opção extremamente vantajosa. Afinal, não é necessário imprimir novos cardápios – já que todas as alterações podem ser rapidamente realizadas pelo próprio sistema do cardápio online.

Portanto, na hora de escolher seu modelo ideal de cardápio, é preciso pensar na praticidade e integração dos modelos virtuais.

Custo-benefício

Outro ponto que deve ser comparado é o custo-benefício das soluções disponíveis no mercado.

Muitas vezes, desenvolver algo próprio pode demandar tempo e ser muito caro. Por outro lado, ao contratar uma solução pronta é preciso observar também quais são as condições contratuais que pode incluir, por exemplo, um percentual sobre o valor das vendas.

Tudo isso irá determinar o custo-benefício de um cardápio digital que varia muito. O custo de manutenção também não pode ficar de fora dessa conta. Uma recomendação básica neste sentido é fazer pesquisas e comparações, para descobrir as vantagens de cada opção.

Agora que você já sabe quais são e como escolher os principais tipos de cardápios digitais, aproveite para criar a sua conta gratuita no GoomerGo. Crie seu cardápio digital online para WhatsApp gratuitamente.

black friday goomer
Você também pode gostar