A receita da transformação digital para a cadeia de abastecimento dos restaurantes

7 minutos para ler

Novos modelos estão surgindo para revolucionar a gestão de fornecedores e distribuidores, equilibrando o desafio de balancear redução de custos com maior lucratividade para os gestores de restaurantes.

A redução das visitas e do consumo em restaurantes, somada ao aumento dos custos e salários estagnados estão criando um cenário a cada dia mais desafiador para os gestores de restaurantes.

Com o consumo caindo, manter o estoque em alta nem sempre é fácil. Com uma infinidade de distribuidores para gerenciar na cadeia de suprimentos e abastecimento, encontrar as opções de maior qualidade e preço pode ser uma tarefa complexa, sobretudo com novos fornecedores surgindo a cada dia.

Na outra ponta, o consumidor se torna cada vez mais exigente, buscando qualidade, eficiência e uma experiência diferenciada a preços acessíveis.

Como, então, equilibrar esse ciclo de forma sustentável, mantendo uma cadeia de abastecimento que atenda as demandas sem onerar os restaurantes ou gerar eventuais prejuízos?

Foi pensando nisso que o portal Modern Restaurant publicou uma matéria sobre as inovações tecnológicas que trouxeram novos modelos possíveis para o setor e podem transformar completamente a forma de abastecimento dos restaurantes muito em breve. E nós vamos explicar mais sobre o assunto no post de hoje!

 

Simplificando o gerenciamento com a tecnologia

A tecnologia tem marcado cada vez mais presença no setor de restaurantes e bares em geral. Da presença online à substituição do cardápio de papel pelo digital, agora quem se beneficia com a nova onda de inovação é a gestão de fornecedores.

O surgimento de plataformas na nuvem para controle de múltiplos fornecedores e distribuidores facilita não apenas o controle e gestão da cadeia de suprimentos, mas também traz mais velocidade às negociações e margem para negociação de melhores preços.

Esses modelos pode ser uma forte ameaça para a velha guarda, trazendo melhorias tanto no serviço quanto no valor do cliente e contribuindo significativamente para o crescimento da receita e participação de mercado ao proporcionar vantagens como:

  • Redução de custos dos produtos vendidos (CPV) em 10% ou mais;
  • Redução do inventário em até 50%;
  • Aumento da vida de prateleira aumentou em 50% e redução do desperdício em até 75%;
  • Redução do tempo de rentabilidade para novas unidades até 3 meses ou menos.

Se compararmos a estratégia de disrupção de mercado utilizada pelo Uber, por exemplo, que oferece os mesmos serviços do mercado tradicional de táxis por um preço mais acessível e atende demandas latentes de mercado, aplicando os mesmos princípios à rede de logística de restaurantes, a abordagem de tecnologia em nuvem fornece uma correspondência em tempo real da demanda do consumidor para o fornecimento.

Assim, o produto ou serviço é oferecido ao consumidor em um nível de serviço muito maior e um custo muito menor, além de colocar na mesma plataforma tecnológica todos os parceiros comerciais e fornecedores para que as atividades de planejamento e execução em torno da demanda do consumidor sejam compartilhadas e geridas por todos, em tempo real.

 

Como saborear os resultados da tecnologia

A revolução tecnológica nos restaurantes não começou agora. Desde que as planilhas começaram a ser substituídas por sistemas de gestão ERP e os cardápios tradicionais passaram a dar lugar à cardápios digitais em tablets, com técnicas de engenharia de cardápio para elevar o consumo nas casas, outras estratégias também têm sido adotadas pelo setor. A presença online, sistemas de reserva digital, presença de marca em redes sociais e outros atributos tem contribuído para apoiar a sobrevivência dos restaurantes.

Naturalmente, o funcionamento da própria estrutura da casa não poderia ficar de fora desse movimento por muito tempo. As plataformas em nuvem estão revolucionando as abordagens tradicionais da cadeia de suprimentos, integrando todas as partes da cadeia de valor em tempo real a cada sinal de consumo. Isso é possível através do monitoramento da demanda dos consumidores ao longo do dia, com previsões projetadas para itens do cardápio que são traduzidas em matérias-primas necessárias e integradas à rede de distribuição de fabricantes disponíveis.

Ao utilizar esse modelo, uma das maiores empresas de refeições do mundo conseguiu mais de 40% de melhoria na previsão da demanda dos consumidores em nível de itens e na conversão da oferta necessária em suporte operacional.

Se considerarmos que esse pode ser apenas o estágio inicial de uma revolução ainda maior no futuro, os restaurantes têm muito a saborear com os resultados dessa mudança. Ao moldar e detectar a demanda dos consumidores e acionar distribuidores em tempo real, as casas podem se beneficiar de vantagens como:

  • Modelagem de demanda (ofertas de tempo limitado e novos itens de menu) com 90% mais precisão de previsão;
  • Ao tratar os distribuidores como um fluxo contínuo, as empresas podem reduzir o estoque de matérias-primas e melhorar suas operações de previsão e logística com CPV reduzido em 10% ou mais.
  • Com uma rede disponível em tempo real, o inventário é reduzido em pelo menos 50% para quatro a seis dias em oposição ao habitual, que é de aproximadamente oito a doze dias. Isso elimina desperdícios e riscos à qualidade dos alimentos.
  • Redução do fluxo de informação e prazo de fornecimento: os tempos de ciclo de pedidos do restaurante podem ser reduzidos em 90%.
  • Custos de transporte reduzidos devido a modelos de redistribuição compartilhada, impulsionado por ordens precisas construção inteligente de cargas de remessa de acordo com a demanda do consumidor.
  • O suporte para todos os canais, incluindo franquias, entregas em domicílio e vendas online, abre oportunidades para modelos de negócios diferenciados e novas receitas que impulsionam o envolvimento do cliente através de ofertas de pedidos móveis e outros canais.
  • Acesso instantâneo: qualquer novo membro (como uma nova loja ou novo fornecedor) pode começar a interagir instantaneamente com toda a rede. Isso reduz radicalmente os tempos de abertura das novas lojas, o novo fornecedor de embarque, a mobilização limitada da oferta de tempo e os novos tempos de introdução da marca. A automatização de processos através da rede permite operações consistentes e otimizadas conduzindo o tempo para rentabilidade até 3 meses ou menos.

 

Independência e agilidade para a gestão de restaurantes

Com o consumidor final agindo como uma alavanca de aceleração para a transformação imediata dos restaurantes em um perfil renovado de atuação focada na excelência, as casas precisam fugir do tradicional e abraçar novos paradigmas para acompanhar o ritmo acelerado do mercado.

Enquanto o modelo tradicional (e que muito em breve chamaremos de “antigo”) da tecnologia ainda é muito conhecido por implementações lentas e que geram demora nos resultados, as novas abordagens simplificam esse processo e trazem opções que podem ser adotadas facilmente pelos gestores de restaurante, com rápida implementação e resultado.

Novos paradigmas que alavancam tecnologias inovadoras estão superando falhas fundamentais nas abordagens atuais e estão oferecendo a oportunidade de mudnças na indústria de refeições fora de casa. Empresas visionárias já estão se transformando em redes digitais orientadas para o consumidor e alcançando resultados inovadores.

A escolha é clara: a indústria está mudando. E você, está preparado para encarar este desafio?

 

Quer saber mais?

Se você quer acompanhar todas as tendências e novidades sobre o universo da gestão de restaurantes e se preparar para o mercado do futuro, assine nossa newsletter e receba mais informações em seu email:


goomergo cardapio digital whatsapp
Você também pode gostar