Customização de cardápios com o autoatendimento

2 minutos para ler

A base do sistema do fast food sempre foi a produção em linha, sem a customização dos pratos. Um modelo de venda estrategicamente trabalhado para ofertas de combos. Esse processo é baseado na sugestão de adicionais por parte do atendente. Mas o mercado está mudando!

Os terminais de autoatendimento

Quando o McDonald’s implantou os totens de autoatendimento com certeza não abriram mão de vender mais fritas ou sobremesas, foi exatamente o contrário.

Com o uso dos totens de autoatendimento, o consumidor pode montar o próprio hambúrguer como desejar, retirando ou adicionando ingredientes.

Assim, a venda média pode subir, aumentando o tíquete médio do restaurante. Pesquisas apontam que o aumento nas vendas pode ser entre 5% a 40%, dependendo da operação e da oferta do produto.

Inteligência de vendas

A partir da interação dos consumidores, é possível descobrir padrões de comportamento e de combinações. Com isso, todos os dados ficam disponíveis para um estudo do perfil de vendas do seu cardápio. Utiliza-se a engenharia de cardápio, que avalia sua performance e margem de contribuição.

Alguns pratos do seu cardápio isoladamente podem não oferecer uma boa margem de contribuição. Mas, combinadas numa oferta você pode chegar ao valor ideal. O processo de venda continua o mesmo. Só é necessário entender qual é o melhor formato para que o terminal seja ainda mais assertivo na oferta.

É um processo que sua equipe vai trabalhar com a empresa que desenvolveu o totem na busca por um design de navegação e de combinações de produtos.

Veja o exemplo de customização do Starbucks, que começou a fazer uso de menu board para customizar seu cardápio no período da tarde, em que os clientes consomem outros produtos.


Você também pode gostar