Qual é o custo de um Cardápio Digital?

custo de um cardápio digital - homem pedindo café no tablet
5 minutos para ler

O uso da tecnologia dentro do ambiente dos restaurantes é bem comum. Entretanto, ao falar em tecnologia logo se pensa em altos investimentos. Uma pergunta muito recorrente, no caso dos restaurantes que ainda não aderiram a essa tendência é: qual é o custo de um cardápio digital?

A inovação, pouco a pouco vai dando um nova cara para os serviços e o atendimento. Substituir os cardápios impressos pelos digitais, por exemplo, ainda gera essa dúvida. Afinal, será que realmente vale a pena? O investimento se paga?

Vamos te ajudar com uma avaliação bem simples. Começando do começo…

Qual é custo de um Cardápio Digital?

Para responder essa pergunta, primeiro é preciso listar os modelos de autoatendimento disponíveis no mercado hoje. Falando rapidamente, existem no mínimo 4 formatos mais conhecidos e utilizados.

Os recursos atendem desde grandes redes de Fast Food, até restaurantes de menor porte, trazendo mais eficiência a operação do dia a dia. Então, obviamente a resposta irá depender do tipo de tecnologia adotada.

Embora os modelos variem de tamanho, cor, forma de uso e visualização, por exemplo, geralmente o que se tem são:

Hardware:

É o dispositivo físico utilizado para visualização ou para fazer os pedidos, podendo ser um ou mais aparelhos.

Exemplos: tablets, displays, tótens. O próprio celular do usuário também é um leitor utilizado para captura do QR Code, quando o cardápio digital pode ser lido via QR Code.

Os restaurantes podem fazer a aquisição, locação, utilizar em comodato, contratar planos (que inclui hardware e software).

Software:

Pode ser entendido como o sistema, programa ou aplicação, a “inteligência” que existe para processar os dados recebidos ou imputados pelo usuário que geram informações e uma ou mais ações como resultado: registro de um pedido, envio para impressões, etc. As informações são, geralmente, salvas na nuvem.

Exemplos: sistemas web digitais, plataformas, aplicativos.

Para usar o programa, os restaurantes pagam por licenças, mensalidades ou acessos. Podem haver ainda cobranças por volume de dados transacionados ou um comissionamento sobre as vendas realizadas.

Integrações e conexão

Para a integração com outros hardwares ou softwares, os sistemas utilizam APIs (Application Programming Interface) para troca de informações e, normalmente, dependem de conexão com internet (rede local ou wi-fi).

Algumas funcionalidades do sistema do cardápio digital também podem rodar offline, dependendo de como foi programada.

Custo ou investimento?

Em um rápido comparativo entre os menus impressos ou eletrônicos, podem ser listados:

  • Custos com cardápios impressos: impressão, reimpressão, encadernação ou plastificação, etiquetagem ou marcação para atualização de preços;
  • Custos com cardápios digitais: licenças (mensalidades ou planos), desenvolvimento de funcionalidades específicas, contratação de funcionalidades adicionais, customizações, atualizações;

Um cardápio em papel pode ser atualizado frequentemente devido a mudanças no menu, alterações de preços, atualização de layout, troca devido ao tempo de uso. Mesmo os cardápios individuais e descartáveis devem passar por revisões para conferência das informações.

Ao calcular o custo de um cardápio digital se tem o investimento inicial e o de manutenção esporádica, no caso do cardápio digital em tablet, por exemplo. Mas, qualquer alteração de informação é realizada de forma instantânea em todos os cardápios de uma única vez, sem a necessidade de alterar um a um.

E mais, existem soluções para criação de cardápios digitais que são gratuitas. É isso mesmo! Você pode criar o seu cardápio online gratuitamente e receber pedidos direto no WhatsApp, com o GoomerGo.

No final, muito se fala em custo, mas pouco em investimento e no quanto o cardápio digital pode retornar. Em média, as vendas com cardápio digital acrescentam em torno de 30 a 35% no faturamento.

Logo, se optar por uma solução paga o valor investido é recuperado em um curto espaço de tempo.

Preço ou valor?

Qual é o preço de um cardápio digital?

Como você viu, existem opções gratuitas e tão vantajosas quanto as pagas. O ponto aqui é quanto o uso da tecnologia pode contribuir para a operação, aumento das vendas, melhor alocação dos garçons.

Com o cardápio digital seus clientes têm mais autonomia, os pedidos são feitos de forma mais rápida, a cozinha ganha mais agilidade. No delivery, seu cardápio passa a ter uma função muito mais importante, afinal, precisa ser atrativo e convincente para vender mesmo a distância. Aproveite para ver aqui quais são as 7 principais vantagens do cardápio digital online.

Embora a gente esteja falando sobre o cardápio digital, hoje os sistemas são muito mais completos: permitem o gerenciamento de pedidos, controle das vendas, recebimento de pagamento online, integração com outros programas que ajudam a ter uma visão mais completa do seu restaurante – agregando ainda mais.

Então, mais uma vez, o investimento pode ser tido como inteligente. Com automação e análises mais estratégicas, seu restaurante pode atender mais clientes, aumentar o tícket médio, aumentar o giro das mesas ou vender mais online.

goomergo cardapio digital whatsapp
Você também pode gostar