Aprenda a montar um cardápio que vende!

Preparamos para você uma série de dicas curtas para facilitar o dia a dia do seu restaurante e melhorar a produtividade da sua equipe.

Nessa primeira dica da série “Cardápio Campeão”, vamos falar como estabelecer o melhor fluxo do seu cardápio para você e seu cliente.

Só para se ter noção do crescimento desse setor, hoje existem cerca de 700 a 1500 restaurantes japoneses no Brasil e a maioria deles está concentrada na Grande São Paulo. Como vocês podem ver, é um mercado extremamente competitivo. Em termos numéricos, são movimentados 19 bi anualmente, isso considerando certo volume de clientes diários e o ticket médio de 80 reais por pessoa. No artigo de hoje você vai aprender algumas dicas básicas para um bom cardápio. Fique com a gente!

1. Posicione os produtos da melhor forma

Antes de mais nada, você precisa definir a margem de contribuição de seus produtos! Se você conhece o custo que tem determinado prato e tem bem definido o preço cobrado por ele, basta estabelecer a diferença entre estes dois valores para determinar sua margem de contribuição.

MC = Pvenda – Pcusto

Ela é fundamental para valorizar os produtos que possuem maior margem de contribuição, pois eles que irão aumentar de fato seu faturamento.

Assista ao vídeo explicativo:

2. Revise sempre a margem de contribuição no seu cardápio

Alguns produtos são vulneráveis a sazonalidade, por isso é importante revisar sempre a margem de contribuição deste produto. Por exemplo, o atum é um peixe que apresenta maior sazonalidade no segundo semestre do ano e tende a ficar mais caro. Para saber mais sobre sazonalidade, consulte o site do Ceagesp, em que disponibilizam uma a sazonalidade de diversos produtos.

Você deve estar se perguntando: como isso afeta o fluxo do meu cardápio? É simples…

3. Dê as primeiras posições aos pratos com maior margem

Se seu objetivo é aumentar as vendas, deve destacar os produtos que te trazem maior margem.

Os pratos seguem certa lógica ao serem colocados no cardápio. No caso dos rodízios, o ideal é que o cardápio apresente primeiro os pratos quentes e depois os frios.

Ao usar o Goomer, o cliente pode fazer o pedido selecionando todos os pratos que quer. Então é importante que o garçom em junto a cozinha, gerencie os pedidos de forma a criar o fluxo desejado.

Essa foi nossa primeira dica. Em breve mais dicas simples para facilitar seus processos. Até a próxima!

Luri Shirosaki

Acredita que a tecnologia pode transformar a experiência no restaurante.

Comentários

comentários